Se não conseguir ver corretamente esta newsletter, clique aqui


Edição 84, janeiro, 2013EspaçoQ
EspaçoQ
  boletim informativo mensal      edição Instituto Português da Qualidade
   
Logotipo do MEE
Divulgue esta newsletter pela sua organização ou envie-nos os e_mails dos possíveis destinatários
  Tema do Mês
 
 

Portugal Sou Eu

Logo do Programa Portugal Sou Eu

Portugal somos todos nós…
Portugal é cada um de nós…
Portugal Sou Eu!

O programa Portugal Sou Eu é uma iniciativa do Ministério da Economia e do Emprego, e será desenvolvida numa lógica da co-promoção das entidades AEP, AIP, CAP e IAPMEI, entidade que assegura a direção executiva do programa.

Portugal Sou Eu, congrega vontades de agentes públicos e privados para o objetivo comum de valorizar a imagem de Portugal e dos produtos portugueses, enquanto contributos fundamentais para a competitividade das nossas pequenas e médias empresas, o fomento da produção com incorporação de valor em Portugal, o equilíbrio sustentado da balança comercial e criar condições para aumentar o número de empresas com potencial para exportar.

Portugal Sou Eu destina-se a os todos os Portugueses. A percepção da portugalidade dos produtos que compramos ou consumimos em Portugal ou os apresentamos nos mercados internacionais, pode constituir diretamente um estímulo ao incremento da produção nacional com maior valor acrescentado.

O programa pretende sensibilizar produtores e consumidores para a importância social e económica que a produção e o consumo de produtos com valor acrescentado nacional representa para o crescimento das empresas e do emprego nacional, ajudando a valorizar as marcas nacionais na comunicação com o mercado e estimulando novas oportunidades de negócio.

Através da criação de um “selo” aplicado aos produtos aderentes, permitirá ao consumidor reconhecer de forma imediata e simples a origem nacional do produto, e disponibilizará informação relevante e distintiva que permita aos consumidores a tomada de decisão responsável, a sensibilização das empresas de distribuição moderna e entidades públicas para a valorização da produção nacional nas suas aquisições, respeitando as regras da concorrência, e o apoio à capacitação das PME, aumentando o seu potencial de resposta aos desafios do mercado.

As empresas podem aderir ao selo Portugal Sou Eu, dos seus produtos, pela via Auto-declarativa e registo online, declarando qual a percentagem de incorporação nacional do produto referenciada na especificação técnica DNTS4508:2012 do IPQ, e dos critérios adicionais relativos ao Emprego nacional, à Propriedade Intelectual e ao Valor Acrescentado Bruto da empresa.

Os produtos aderentes beneficiam, entre outras vantagens de promoção de negócio, das campanhas de comunicação e informação do “Portugal Sou Eu” contribuindo para o aumento da visibilidade dos produtos e das empresas aderentes, e fazem parte de uma estratégia coletiva de marcas de prestígio nacional, integrando o catálogo de produtos “Portugal Sou Eu” no portal.

A participação na iniciativa “Portugal Sou Eu” está na mão de todos os portugueses enquanto consumidores, empresários ou elementos da administração pública. Vamos valorizar o que se faz em Portugal!

Consulte o sítio web deste Programa...


   
  Publicações
   
  ISO Focus+
   
ISO Focus+ janeiro de 2013

ISO Focus+ janeiro de 2013

Este número realça a importância das normas internacionais para a construção de cidades inteligentes ("smart cities") e em que medida contribuem para o aumento da eficiência energética, melhoria da segurança, planeamento e desenvolvimento urbano sustentável, desenvolvimento de redes de estradas e de meios de transporte, redução da poluição e para uma correta gestão dos resíduos.

Consulte esta publicação no sítio web da ISO...


Use normas marque a diferença
   
Use normas - marque a diferença

Sendo inquestionável o valor considerável que as Normas acrescem à economia, aos negócios, às pessoas e à sociedade em geral, é então legítimo perguntarmo-nos, se estes benefícios resistirão a tão grave crise económica como a que vivemos atualmente. A nossa resposta é SIM!

Veja como, lendo o Guia PME – “Use Normas. Marque a Diferença”.

Consulte esta publicação...(pdf)

 
 

  Ir para o topo  
  Destaques  
     
 

Importância da Gestão de Projetos

A Norma NP ISO 21500, publicada no passado mês de Novembro, apresenta as linhas orientadoras das boas práticas de Gestão de Projetos internacionalmente aceites. É uma Norma destinada principalmente aos profissionais de gestão de projetos, mas que interessa igualmente a todas as áreas funcionais envolvidas na realização de projetos ou que a suportam, desde a área financeira, passando pela logística, até aos recursos humanos.

Uma norma não é um livro de texto. Por um lado, uma norma tem, em relação aos livros a grande vantagem de representar não apenas o ponto de vista de um autor ou grupo de autores mas, pelo contrário, representar os contributos e os consensos obtidos de um vasto conjunto de especialistas, representando um número significativo de setores de atividade e de culturas. Por outro lado, uma norma é um documento necessariamente genérico para poder ser compatível, como é o caso da NP ISO 21500, com todas as áreas de aplicação da gestão de projetos. Esta Norma pode assim considerar-se o esqueleto das boas práticas de gestão de projetos. Competirá às Organizações adicionarem a esse esqueleto os músculos, os nervos e os órgãos que tornarão a Norma num documento que traduza a sua realidade específica, isto é, um documento que constitua a sua Metodologia de Gestão de Projetos, contendo os processos de gestão de projetos correspondentes aos seus modelos de negócio e à sua natureza específica.

A Norma NP ISO 21500 interessa igualmente ao ensino da gestão de projetos, oferecendo às Escolas e outras entidades formadoras uma base de referência para desenvolverem os seus conteúdos formativos. Sendo estes conteúdos formativos e as metodologias de gestão de projetos das Organizações desenvolvidos a partir do mesmo referencial normativo, estarão criadas as condições para ser ultrapassado o distanciamento que continua a verificar-se entre aquilo que se ensina nas escolas e a realidade do trabalho nas empresas e instituições. O IPQ está já a realizar ações de formação sobe a aplicação da Norma NP ISO 21500, destinadas aos gestores de projetos e às direções funcionais e de topo.

Esta Norma constitui também a base para a continuação do desenvolvimento de outras normas sobre a mesma matéria. Durante o primeiro semestre do próximo ano, estará concluído o draft duma Norma de Requisitos de Gestão de Projetos, inteiramente baseada na NP ISO 21500, que vai constituir mais um contributo para as Organizações melhorarem a qualidade das suas práticas de gestão de projetos e que poderá constituir um primeiro passo para a certificação nesta área, conferindo a Portugal uma posição de pioneiro mundial nesta abordagem.

A Comissão Técnica 175, coordenada pelo Organismo de Normalização Setorial – APOGEP (Associação Portuguesa de Gestão de Projetos) mantém as suas portas abertas a todos os especialistas nas diferentes matérias relacionadas com a Gestão de Projetos que queiram colaborar nos seus trabalhos de normalização e agradece antecipadamente a sua disponibilidade. Contacto: ons@apogep.pt.


O IPAC alterou os ciclos de acreditação para quatro anos

O Instituto Português de Acreditação, IP (IPAC, IP) publicou no dia 31 de dezembro de 2012 a Circular Nº 2/2012, sobre alteração dos ciclos de acreditação de entidades para quatro anos. Entende-se por ciclo de acreditação o período de tempo entre a concessão e a primeira renovação, ou entre sucessivas renovações da acreditação.

Desde o início da atividade de acreditação em Portugal que os ciclos de acreditação se mantêm em 3 anos, em linha com a prática habitualmente seguida pelos maioria das entidades de acreditação homólogas do IPAC. No entanto, estes ciclos de acreditação têm vindo a ser alargados por algumas dessas entidades, sendo a tendência atual europeia e internacional, a de serem utilizados ciclos de quatro anos.

Segundo o IPAC, este alargamento do prazo justifica-se pela maior maturidade dos organismos de acreditação e eficácia dos mecanismos de avaliação que empregam, acompanhado também por um conhecimento mais difundido dos critérios e requisitos de acreditação por parte das entidades acreditadas e candidatas.

O IPAC estabeleceu uma metodologia de transição para os ciclos de quatro anos, que se encontra disponível no seu sítio web.


Estudo de Avaliação da Satisfação do Cliente IPQ - 2012

O IPQ está a promover, pelo quinto ano consecutivo, a realização de um estudo de avaliação da satisfação dos seus clientes e entidades do Sistema Português da Qualidade (SPQ), relativo a 2012. A avaliação da satisfação do cliente é um instrumento de gestão de enorme importância, para medir a qualidade do serviço que prestamos e proporcionar a implementação de acções de melhoria.(...)

A população alvo objeto dos estudos é constituída pelo conjunto dos clientes do IPQ das atividades referidas anteriormente, sendo consideradas sete subpopulações: Clientes da Metrologia, Organismos de Verificação Metrológica (OVM), Organismos de Normalização Setorial (ONS), Compradores de Normas, Correspondentes, Clientes do "Serviço Questionar" e subscritores da newsletter EspaçoQ. É também avaliado o nível de satisfação dos clientes com o sítio web do IPQ.

Os resultados obtidos para o índice de satisfação global foram de 7,4 em 2007 e em 2008, 7,5 em 2010 e 7,6 em 2009 e 2011. Numa escala de 1 a 10, estes resultados colocam a satisfação dos clientes do IPQ num nível bastante elevado.

Esta subida generalizada dos índices de satisfação, reflete a adequabilidade das ações de melhoria implementadas decorrentes dos estudos realizados, bem como o esforço efetuado por todas as áreas deste Instituto, no sentido de melhorar e adequar a sua resposta às necessidades dos seus clientes, visando a sua crescente satisfação.

As respostas dos nossos clientes e entidades do SPQ são essenciais, na prossecução do objetivo de o servir cada vez melhor. Este continua a ser o nosso compromisso.
Agradecemos antecipadamente a sua colaboração.

Ler mais...


TEMPMEKO2013 - Symposium on Temperature and Thermal Measurements in Industry and Science

TempMeko2013

A Sociedade Portuguesa de Metrologia, em colaboração com a RELACRE e com o apoio da IMEKO TC12, do IPQ e das Autoridades da Região Autónoma da Madeira, irá realizar no Funchal, de 14 a 18 de outubro de 2013, o TEMPMEKO2013 - Symposium on Temperature and Thermal Measurements in Industry and Science.

O TEMPMEKO2013 é a 12ª edição de uma série de simpósios internacionais no domínio da Metrologia da Temperatura na Indústria e na Ciência, constituindo um fórum privilegiado para a discussão e a interação técnico-científica dos mais recentes desenvolvimentos e inovações neste âmbito.

A submissão de comunicações deverá efetuar-se até 28 de fevereiro de 2013, considerando os seguintes tópicos:

  • T1 - Fundamental Aspects and Standards;
  • T2 - Methods and Sensors;
  • T3 - Thermophysical Properties and Standard Reference Materials;
  • T4 - Traceability and Dissemination;
  • T5 - Applications of Temperature, Humidity, Moisture and Other Thermal Measurements.
  • Consulte o sítio web deste Simpósio...


     
         
      Ir para o topo  
      Notícias
         
     

    Documentos normativos relevantes editados recentemente

    No âmbito do conjunto de documentos normativos recentemente editados, destacamos pela sua relevância duas áreas:

    NP 3034:2012 Azeitonas de mesa. Definição, classificação, características, acondicionamento e rotulagem
    Esta Norma Portuguesa destina-se a definir, a classificar, a fixar as características e a estabelecer as regras de acondicionamento e rotulagem das azeitonas de mesa.

    NP EN 13859-1:2012 Membranas de impermeabilização flexíveis. Definição e características de barreiras flexíveis colocadas sob revestimentos de coberturas
    NP EN 13859-2:2012 Membranas de impermeabilização flexíveis. Definição e características de barreiras flexíveis colocadas sob paredes. Parte 2: Barreiras flexíveis para paredes
    Estes dois documentos normativos especificam as características das membranas flexíveis de impermeabilização utilizadas como barreiras para coberturas com elementos descontínuos e como barreiras flexíveis para paredes destinadas a serem utilizadas por detrás dos revestimentos exteriores das paredes a fim de evitar a penetração do vento e da água do exterior. Especifica os requisitos e os métodos de ensaio e fornece indicações relativas à avaliação da conformidade dos produtos com os requisitos definidos em ambas as Normas.

    NP ISO 16069:2012 Símbolos Gráficos. Sinais de segurança. Sistema de orientação para caminhos de evacuação de segurança
    A presente Norma descreve os princípios que definem a conceção e a aplicação de componentes visuais usados para criar um sistema de orientação para caminhos de evacuação de segurança (SOCES). Contém princípios gerais válidos para componentes alimentados a energia elétrica ou fotoluminescentes. São dadas informações específicas relativamente ao tipo de componentes, de forma a ajudar a definir o tipo de ambiente onde o sistema será instalado, a escolher o material, a disposição, a instalação e a manutenção do SOCES.


    Norma para Serviços de Excelência

    O Comité Europeu de Normalização – CEN - acabou de criar um novo Comité Técnico (CEN / TC 420 - Services excellence systems), com o objetivo de desenvolver uma nova Norma Europeia que contenha os requisitos necessários para que as empresas ou organizações proporcionem excelentes serviços aos seus clientes.

    A nova Norma irá considerar vários aspetos nomeadamente: satisfação do cliente, inovação na prestação dos serviços, responsabilidade da gestão pela excelência, e a otimização da alocação e orientação dos recursos. O secretariado do Comité será da responsabilidade da DIN (Organismo de Normalização Alemão) e já teve a sua primeira reunião no passado mês de outubro, em Berlim. Para o desenvolvimento do seu trabalho, o CEN/TC 420 irá ter por base a especificação técnica alemã - DIN 77224 SPEC 'Achieving Customer Delight through Service Excellence', a ISO 10002 - “Guidelines for the handling of complaints” e a própria ISO 9001 – “Quality Management Systems”.

    Perante um mercado cada vez mais competitivo e exigente as expetativas dos clientes estão sempre a aumentar nos mais diversos setores (turismo, retalho, TIC, bancos, etc) nomeadamente a nível do atendimento e satisfação do produto/serviço prestado. A nova norma europeia irá ajudar as organizações públicas e privadas a demonstrar boas práticas na área da excelência.


    QCert-Vet reúne no IPQ

    Fotografia do grupo de trabalho do projeto Q-Cert-VET

    O IPQ foi anfitrião, nos dias 10 e 11 de dezembro, da 5.ª Reunião do Consórcio do projeto Q-Cert-VET - Projeto Europeu de Transferência de Inovação, do qual é parceiro desde janeiro de 2011.

    Relembra-se que foi no âmbito deste projeto que foi criada a Comissão Técnica ad-hoc (CTA25) para a Educação e

    Formação, que desenvolveu a norma NP 4512:2012 “Sistemas de Gestão da Formação Profissional, incluindo aprendizagem enriquecida pela tecnologia”.

    Participaram nesta reunião, não só os representantes dos oito parceiros do consórcio, oriundos de Portugal, Luxemburgo, Alemanha e Roménia mas também, como convidados especiais, os representantes dos parceiros voluntários que estão atualmente a testar a norma NP 4512 e o parceiro voluntário certificador (eiC – Empresa Internacional de Certificação, SA), que realizou já a primeira auditoria de concessão de certificação.

    A reunião foi aberta pelo Presidente do IPQ e contou também com a participação do Presidente do IPAC, que apresentou o esquema de certificação acreditado com base na NP4512, publicado no passado dia 23 de novembro. Entretanto estão a decorrer as auditorias com vista à certificação dos parceiros do consórcio e parceiros voluntários.


    Projeto EURAMET 1123 “On site peer review”

    No âmbito do projeto EURAMET 1123 “On site peer review”, coordenado pelo IPQ, em parceria com o Centro Español de Metrologia - CEM (Espanha) e com o Istituto Nazionale di Ricerca Metrologica - INRIM (Itália), efetuou-se durante o ano de 2012 a primeira fase do segundo ciclo de avaliações.

    Este ano, além dos LNM de cada um dos países participantes, foram considerados os respetivos Laboratórios Designados para as Radiações Ionizantes, de acordo com as seguintes peer visit:

  • 6 a 8 de novembro de 2012 – Itália: Laboratórios de Dosimetria e de Radioatividade e Sistema de Gestão da Qualidade do ENEA-INMRI (Istituto Nazionale di Metrologia delle Radiazioni Ionizzanti) e Laboratório de Acústica do INRIM;
  • 28 a 29 de novembro de 2012 – Espanha: Laboratórios de Dosimetria e de Radioatividade e Sistema de Gestão da Qualidade do CIEMAT (Centro de Investigaciones Energéticas, Medioambientales y Tecnológicas);
  • 12 a 13 de dezembro de 2012 – Portugal: Laboratório de Radiações Ionizantes e Sistema de Gestão da Qualidade do IST/ITN e Laboratório de Força do IPQ.

  • Como conclusão destaca-se o facto de cada uma das equipas considerar que as constatações identificadas não põem em causa a conformidade destes Laboratórios Nacionais de Metrologia e Designados, com o Acordo de Reconhecimento Mútuo (MRA) do CIPM.

    Em 2013 será realizada a segunda fase do ciclo com um planeamento a estabelecer entre os três signatários do Projeto e em áreas metrológicas ainda não avaliadas.


    Comparação de Sistemas de Medição Distribuidores de Combustível

    Fotografia de Técnicos do IPQ

    Decorreu em outubro de 2012 uma Comparação de Organismos de Verificação Metrológica no âmbito da Verificação de Sistemas de Medição Distribuidores de Combustível (SMDC) organizada pelo Departamento de Metrologia do Instituto Português da Qualidade e teve como objetivo avaliar e comparar os resultados obtidos

    pelas diversas entidades verificadoras, contribuindo assim para a melhoria do desempenho desta atividade da Metrologia Legal. Esta comparação contou com a participação de seis Organismos de Verificação Metrológica, tendo o Laboratório de Volume do IPQ participado como Laboratório de Referência. Foram realizados ensaios com gasolina e gasóleo a 5 L e 20 L. Na generalidade, os valores apresentados pelos participantes possuem variações máximas entre si de 0,2 %, valor inferior ao Erro Máximo Admissível do SMDC, de 0,5%, o que indica uma boa reprodutibilidade do equipamento verificado. Os resultados obtidos foram muito positivos tendo em conta que os ensaios foram realizados “in situ”, a horas e dias distintos, por entidades diferentes utilizando recipientes de volume graduados com diferentes características.


    IPQ em projetos de I&D sobre nanotecnologia

    A nanotecnologia e manipulação das nanopartículas são hoje fontes de desenvolvimento e inovação conduzindo a grandes apostas na pesquisa científica e na produção tecnológica. Os nanomateriais produzidos através do controlo das estruturas fundamentais da matéria (átomos e moléculas) são atualmente utilizados em vários setores da atividade humana, nomeadamente na indústria, saúde e cosmética. A garantia de segurança é fundamental para a criação de confiança e consequente aceitação destes produtos pela comunidade. No entanto, o estado do conhecimento sobre os aspetos de segurança e a avaliação dos riscos, relativos à sua utilização e produção, é ainda insuficiente e de uma enorme incerteza. A resposta a este tipo de problemas passa por encontrar internacionalmente métodos metrológicos, normas e legislação que possam cobrir o espetro de produtos e aplicações emergentes desta tecnologia.

    Associando-se aos esforços da comunidade científica internacional, o IPQ marca a sua presença no consórcio nacional PToNANO, criado em 2012, constituído por entidades ligadas a atividades de natureza científica, regulamentar e industrial na área da Nanotecnologia. Alguns dos objetivos do consórcio são: a produção de ferramentas para avaliação de risco, o apoio a decisões e o estabelecimento de cooperação entre autoridades nacionais, académicas e industriais de modo a produzir iniciativas válidas no campo da Regulação e Normalização, assim como a possibilidade de integrar parcerias para apresentação a call de projetos neste domínio.

    Visando estes objetivos, o IPQ, integrado neste consórcio, participa atualmente no projeto Europeu, no âmbito do VII quadro comunitário, no NANoREG: NMP.2012.1.3-3 A common European approach to the regulatory testing of Nanomaterials, cujos principais resultados pretendem a obtenção das contribuições necessárias para os requisitos de regulação, a validação de métodos de ensaio, o estabelecimento de um fórum de decisão, respeitante à forma de implementação das alterações a protocolos existentes e o estabelecimento de uma colaboração próxima e duradoura entre as autoridades da Regulação e a indústria, na promoção de abordagens de gestão do risco inovadoras.


    Ano Europeu dos Cidadãos

    No passado dia 10 de janeiro, arrancou oficialmente o Ano Europeu dos Cidadãos. Com esta iniciativa a Comissão Europeia pretende marcar o 20º aniversário do estabelecimento da Cidadania Europeia, consagrada no Tratado de Maastricht, que entrou em vigor em 1993. A celebração passará, por debates entre comissários europeus, políticos nacionais e locais, e cidadãos de todos os países da UE, bem como pela campanha “Youth on the Move”, a ser apresentada a 13 de Fevereiro.

    A cidadania europeia não substitui a cidadania nacional, mas complementa-a. Espera-se que, no fim do ano, prevaleça um entendimento da cidadania da UE nas instituições e que os residentes da União se sintam positivamente conscientes do seu papel no projeto Europeu. Todos têm de participar e ser ouvidos, para que as preocupações dos cidadãos tenham impacto nas orientações e políticas europeias.

    Ler mais...


    Audição do IPQ na Assembleia da República

    O IPQ foi convidado para participar numa audição na Assembleia da República do Grupo de Trabalho (GT) – Trabalhos Preparatórios para Elaboração de uma Lei de Bases da Qualidade, Inovação, Competitividade e Empreendedorismo.

    Criado no âmbito da Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas, este GT é coordenado pelo Deputado Luís Leite Ramos e tem por objetivo consensualizar um conjunto de princípios fundamentais para a definição de um modelo de competitividade sustentável e de valor acrescentado para Portugal, incluindo fatores indutores da mesma.

    De acordo com as reflexões e os contributos iniciais dos diferentes membros do GT, a abordagem a desenvolver neste âmbito deve incidir no conceito de uma Competitividade Responsável, Estruturante e Resiliente (CRER). Enquanto fatores indutores da CRER, foram considerados quatro eixos estratégicos: Qualidade; Investigação/Desenvolvimento/Inovação; Empreendedorismo; e Capital Humano.

    Numa primeira fase, o GT promoveu, a partir de contributos individuais e de informação complementar recolhida pelos serviços da AR, uma reflexão interna sobre aspetos relevantes de cada um destes eixos.

    Na segunda fase, que se encontra em curso, os membros do GT estão a ouvir um conjunto de personalidades e de instituições representativas da sociedade portuguesa nas áreas temáticas acima referenciadas e cujos contributos são imprescindíveis para aprofundar e consolidar um conjunto de aspetos consideradas pertinentes e relevantes para a construção de um modelo de competitividade sustentável para Portugal.

    Foi neste contexto que o IPQ participou na audição referida, representado pelo Presidente do IPQ e pelo Diretor de Departamento de Informação Desenvolvimento e Assuntos Europeus.


    Seminário "500 anos da 1ª edição das Ordenações Manuelinas"

    Fotografia do Seminario 500 anos da 1ª edição das Ordenações Manuelinas

    Celebrou-se no passado dia 17 de dezembro o 5º centenário da 1ª edição do Livro I das Ordenações Manuelinas.

    Este documento inclui regulamentação sobre os pesos e medidas, no que constituiu a maior reforma da Metrologia em Portugal anterior à adoção do Sistema Métrico, revestindo-se

    assim de grande importância para a história da Metrologia no nosso país.

    O Instituto Português da Qualidade assinalou esta efeméride com a realização de um Encontro subordinado ao tema “Ordenações Manuelinas: 500 anos depois”, que decorreu no Auditório do IPQ, com a presença do Presidente do IPQ.

    Este Encontro teve como primeiro orador o Prof. Diogo Freitas do Amaral, que apresentou uma comunicação sobre “D. Manuel e a criação do Estado Moderno”.

    Seguiram-se as apresentações do Engº. António Cruz sobre os pesos e medidas em Portugal, que nos trouxe informação sobre a recente descoberta de um peso (marco) português em África e do Dr. António Neves que abordou a evolução da reforma metrológica nas diferentes versões das Ordenações.

    Por último, é de realçar a participação do Prof. Doutor João Alves Dias, que deu a conhecer informação inédita sobre as últimas descobertas relativas ao 2º Sistema das Ordenações, ocorridas já em 2012.

    A sessão encerrou com uma visita guiada à exposição “Ordenações Manuelinas: 500 anos depois” que esteve patente na Biblioteca Nacional, a qual poderá ser visitada no IPQ durante o primeiro trimestre de 2013.


     
      Ir para o topo
      Eventos  
         
         
     

    Workshop “Prevenção e controlo de Legionella nos Sistemas de Água”
    30 de janeiro

    A Comissão Setorial para a Água (CS/04), o Instituto Português da Qualidade (IPQ) e o Instituto Nacional de Saúde, Dr. Ricardo Jorge (INSA), promovem no dia 30 de janeiro de 2013, no Auditório do INSA, um Workshop subordinado ao tema “Prevenção e Controlo de Legionella nos Sistemas de Água”.

    Tendo como destinatários profissionais de ambiente e saúde pública, autarcas, técnicos de administração pública central e regional, técnicos de entidades municipais, entidades e empresas ligadas ao uso da água, docentes, investigadores e estudantes, com este Workshop pretende-se alertar as entidades públicas e privadas para a problemática da Legionella, procurando dar continuidade ao debate iniciado anteriormente em encontros similares realizados em Lisboa e em Coimbra.

    As inscrições são gratuitas, devendo a inscrição ser efetuada até ao dia 25 de janeiro de 2013 inclusive, para o endereço eventos@ipq.pt.

    Consulte o programa e inscreva-se...


      Ir para o topo
      Formação  
         
         
     

    Gestão de Energia
    Lisboa, 18 e 19 de fevereiro
    Porto, 5 e 6 de março

    Logo do IPQ e do CEDINTEC

    O IPQ e o CEDINTEC irão realizar mais edições desta ação de formação no decorrer de 2013.

    O formador convidado para ministrar as 14 horas de curso, dirigido a gestores de energia, gestores de empresas e técnicos superiores que pretendam potenciar as suas competências e conhecimentos nesta área, continuará a ser o Eng. Orlando Paraíba, Diretor da Agência de Energia e Ambiente da Arrábida.

    Através de métodos pedagógicos expositivo e ativo, pretende-se que, no final da ação, os formandos fiquem aptos a identificar os princípios de um sistema de gestão de energia, os requisitos da NP EN ISO 50001:2012 e adquiram as competências necessárias para implementar os princípios daquela norma em contexto real

    No final da formação os participantes obterão um Certificado de Frequência da Formação Profissional, observando as regras estabelecidas.

    Consulte o programa e inscreva-se...


    Aplicação da Norma ISO 21500
    Quadros Dirigentes
    Gestores de Projetos

    O Curso de Aplicação da Norma ISO 21500 para Quadros Dirigentes ou para Gestores de Projetos destina-se a apresentar uma síntese dos conceitos fundamentais sobre os Métodos, Técnicas e Procedimentos de Gestão de Projetos, à luz do definido na Norma ISO 21500 – Guidance on Project Management. Não é abrangida pelo âmbito deste Curso a prática de técnicas, métodos ou ferramentas de Gestão de Projetos.

    O Módulo foi estruturado com base em três temas:
    Um tema introdutório sobre as normas de gestão de projetos internacionais e sobre algumas normas nacionais de referência, referindo-se também a génese da Norma ISO 21500 e a sua estrutura. Nesta introdução é ainda exposta a atividade do ISO TC 258 e da CT 175;
    Um tema dedicado aos conceitos fundamentais de Gestão de Projetos, abrangendo também uma referência à gestão de programas e de portefólios, à temática do governo da gestão de projetos e às competências em gestão de projetos;
    Um tema focado nos processos da Norma ISO 21500, em que são apresentados os grupos de processos de Início, Planeamento, Controlo e Encerramento dos projetos.

    Demonstrando a importância desta formação, o IPQ vai realizar uma ação de formação interna, especificamente para técnicos das várias áreas do IPQ, tendo como objetivo apresentar conceitos fundamentais sobre os métodos, técnicas e procedimentos de Gestão de Projetos, à luz do definido na Norma ISO 21500.

    As datas de realização de próximas ações externas serão divulgadas oportunamente.

    Consulte o sítio web deste Instituto...


     
      artigos  
         
     
     

    Calibração e Utilização de Seringas e Bombas Infusoras

    Calibração de seringas e bombas infusoras

    Existem vários tipos de instrumentos infusores utilizados na administração de fármacos, com diferentes capacidades, de acordo com o fim a que se destinam e o tipo de terapêutica aplicada. De forma a se assegurar rastreabilidade dos equipamentos de medição de microcaudal é necessário recorrer a métodos de calibração e padrões adequados.

    Atualmente os serviços de calibração na Europa no âmbito da medição de caudal de líquidos podem ir até 10 µl/min, mas para caudais inferiores a 100 ml/min os padrões utilizados não foram ainda validados e para caudais inferiores a 10 ml/min, não existem padrões disponíveis. Foi assim identificada a necessidade da realização de um projeto de investigação no âmbito do Programa Europeu de Investigação Metrológica - EMRP.

    De forma a se iniciar o desenvolvimento e validação do método de calibração gravimétrico de caudal no Laboratório de Volume do Instituto Português da Qualidade, para posterior participação no projeto EMRP - Metrologia para Administração de Fármacos (MeDD), foi solicitado ao Hospital Garcia de Orta/Serviço de Neonatologia, alguns instrumentos de infusão para ensaios a vários caudais e volumes.

    Ler mais...

      Ir para o topo  
      Legislação
     

    Legislação Nacional

    Declaração mensal de remunerações

    Portaria 6/2013, de 10 de janeiro
    Aprova a Declaração Mensal de Remunerações - AT e as respetivas instruções de preenchimento e revoga a Portaria n.º 426-C/2012, de 28 de dezembro.

    Pagamento adicional das pensões em duodécimos

    Decreto-Lei 3/2013, de 10 de janeiro
    Determina que durante o ano de 2013 o pagamento do montante adicional das pensões de invalidez, velhice e sobrevivência atribuídas pelo sistema de segurança social, referente ao mês de dezembro, relativamente aos pensionistas cuja soma das pensões seja igual ou superior a (euro) 600, e do subsídio de Natal dos aposentados, reformados e demais pensionistas da Caixa Geral de Aposentações, seja efetuado em duodécimos.

    Aprovação de modelo

    Despacho 218/2013, de 7 de janeiro
    Renovação da aprovação de modelo n.º 301.25.12.3.32 de SOLTRAFEGO.

    Associações públicas profissionais

    Lei 2/2013, de 10 de janeiro
    Estabelece o regime jurídico de criação, organização e funcionamento das associações públicas profissionais.

    Grandes Opções do Plano para 2013

    Lei 66/2012, de 31 de dezembro
    Procede à sexta alteração à Lei 12-A/2008, de 27 de fevereiro, à quarta alteração à Lei 59/2008, de 11 de setembro, à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 209/2009, de 3 de setembro, à terceira alteração ao Decreto-Lei n.º 259/98, de 18 de agosto, e à décima alteração ao Decreto-Lei n.º 100/99, de 31 de março, determinando a aplicação do regime dos feriados e do Estatuto do Trabalhador-Estudante, previstos no Código do Trabalho, aos trabalhadores que exercem funções públicas, e revoga o Decreto-Lei n.º 335/77, de 13 de agosto, e o Decreto-Lei n.º 190/99, de 5 de junho.

    Lei 66-A/2012, de 31 de dezembro
    Aprova as Grandes Opções do Plano para 2013.

    Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro
    Orçamento do Estado para 2013.

    Legislação Europeia

    Bombas de água

    Comunicação 2012/C 402/07, JOUE C 402, de 29 de dezembro
    Comunicação da Comissão no âmbito da aplicação do Regulamento (UE) 547/2012 da Comissão que dá execução à Diretiva 2009/125/CE, no que respeita aos requisitos de conceção ecológica para as bombas de água - publica os títulos e referências dos métodos de medição transitórios para dar execução ao Regulamento (UE) 547/2012 da Comissão, nomeadamente aos seus anexos III e IV.

    Equipamento de proteção individual

    Comunicação 2012/C 395/01, JOUE C 395, de 20 de dezembro
    Publica os títulos e referências das normas harmonizadas ao abrigo da diretiva 89/686/CEE.

    Motores elétricos

    Comunicação 2012/C 394/06, JOUE C 394, de 20 de dezembro
    Comunicação da Comissão no âmbito da aplicação do Regulamento (CE) 640/2009 da Comissão, que dá execução à Diretiva 2005/32/CE, no que respeita aos requisitos de concepção ecológica para os motores eléctricos - publica os títulos e referências das normas harmonizadas ao abrigo da diretiva.

    Equipamento elétrico e eletrónico

    Comunicação 2012/C 394/05, JOUE C 394, de 20 de dezembro
    Comunicação da Comissão no âmbito da execução do Regulamento (CE) 1275/2008 da Comissão, que dá execução à Diretiva 2005/32/CE, no que respeita aos requisitos de conceção ecológica para o consumo de energia do equipamento elétrico e eletrónico doméstico e de escritório nos estados de vigília e de desativação - publica os títulos e referências das normas harmonizadas ao abrigo da diretiva.

     

     
         
      Sabia que...
     
     
     

    A milha marítima é uma unidade especial utilizada em navegação marítima e aérea para exprimir a distância. Este valor foi adotado por convenção pela Primeira Conferência Hidrográfica Internacional Extraordinária, Mónaco, 1929, com a designação de «milha marítima internacional». Não tem símbolo convencionado a nível internacional. Originalmente, esta unidade foi escolhida porque uma milha marítima à superfície da terra é intercetada aproximadamente por um minuto de ângulo ao centro da terra.

    Consulte os métodos de cálculo desta unidade...(pdf)

      Ir para o topo  
         



    tema do mês  
    publicações  
    destaques  
    notícias  
    eventos  
    formação  
    artigos  
    legislação  
    sabia que...  

     
    Logotipo de entidade certificada  

    Agenda
     
       

     
    2013
    janeiro

    16|Encontro "Qualidade e Boas Práticas - formação-ação PME - uma aposta ganha!", IPQ/CS11
    Caparica, Portugal
     
    30|Workshop "Prevenção e controlo de Legionella nos sistemas de água", Auditório do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, IPQ/CS04
    Lisboa, Portugal
     
    fevereiro
    13 a 15|Conferência Internacional NanoPT 2013,
    Porto, Portugal
     
    maio
    28|European Conference “SMEs and Standardization”
    Bélgica, Bruxelas
     
    29|Encontro Técnico “Poluição Difusa”, IPQ/CS04
    Caparica, Portugal
     
    junho
    7| IV Encontro dos Investigadores da Qualidade, APQ
    Troia, Portugal
     
    outubro
    7 a 10|Congresso Internacional de Metrologia,
    Paris, França
     
    14|World Standards Day  
    14 a 18|Symposium on Temperature and Thermal Measurements in Industry and Science
    Funchal, Madeira, Portugal
     

     
       
       
       
    LOJA IPQ  

    O IPQ está a proceder a uma reestruturação da sua loja eletrónica e brevemente voltaremos a disponibilizar este serviço, com novas funcionalidades e benefícios para os nossos clientes. Entretanto, envie-nos a sua encomenda de normas para o endereço: vendas@ipq.pt ou através do fax: 212 948 260.

    Lembramos que poderá efetuar pesquisa de normas portuguesas através do Catálogo IPQ.

    Pedimos desculpa pelo incómodo causado.

     
       

    Listas
     
       

    LISTAS MENSAIS

     

    janeiro
    Notificações

     
    Documentos normativos

    A Lista mensal das Notificações tem como objetivo divulgar e tornar públicas as Regras Técnicas efetuadas pelos Estados-membros da UE (União Europeia), da EFTA (Associação Europeia do Comércio Livre) e da OMC (Organização Mundial do Comércio), de modo a promover a sua harmonização e, assim, evitar obstáculos técnicos ao comércio.

    Esta Lista decorre da obrigatoriedade de divulgação desta matéria através do Decreto-Lei nº 58/2000, de 18 de Abril que transpôs para a ordem jurídica interna as Diretivas 98/48/CE e 98/34/CE. A sua estrutura foi melhorada, de modo a facilitar a sua consulta.

     
     
     
     
     
    NORMAS EDITADAS EM JANEIRO
    Catálogo IPQ

    Consulte a lista...(pdf)


     


       
       
    IPQ no Mundo  
       
    6ª Reunião do Comité Técnico da EURAMET (TC-L) para a área de Comprimento  
    A 6ª reunião “EURAMET Technical Committee Length” decorreu em Varsóvia, na Polónia, de 22 a 23 de outubro. Teve como objectivo principal, a apresentação do ponto de situação dos vários projectos de comparação, pesquisa ou parceria técnica, em curso na área de Comprimento e a divulgação das actividades de outros grupos de trabalho, nomeadamente: WG-MRA (Working Group on MRA) e WGDM (Working Group on Dimensional Metrology). Esta reunião contou com a participação de um observador da Tunísia e com 27 representantes dos vários Laboratórios Nacionais de Metrologia Europeus.

    Ler mais...(pdf)

     
     
     

    Edições IPQ
     

    Vocabulário Internacional de Metrologia 2012
    1ª edição luso-brasileira

    Vocabulário Internacional de Metrologia               2012









    Faça o download desta publicação...(pdf)

     

    Programa Nacional de Acompanhamento de Boas Práticas de Laboratório

    capa do Programa Nacional de Acompanhamento de Boas Práticas de Laboratório

    Faça o download deste documento


       

    Vocabulário Internacional de Metrologia Legal

    Vocabulário Internacional de Metrologia Legal









    Faça o download desta publicação...(pdf)


     

    Normas Portuguesas de Documentação e Informação"

    Colectânea de normas sobre documentação

    Faça a sua encomenda através do endereço vendas@mail.ipq.pt

       

    Pesos e Medidas em Portugal

    Livro sobre Pesos e Medidas em Portugal

    Faça a sua encomenda através do endereço vendas@mail.ipq.pt


       

    Coletânea de normas Equipamentos e Superfícies para Espaços de Jogo e Recreio

    capa do DVD COLECTÂNEA DE NORMAS Equipamentos e superfícies para Espaços de jogo e recreio

    Faça a sua encomenda através do endereço vendas@ipq.pt


     


    Coletânea de normas sobre Responsabilidade Social

    capa do DVD COLECTÂNEA DE         NORMAS sobre Responsabilidade Social

    Faça a sua encomenda através do endereço vendas@ipq.pt


     

    Coletânea de normas sobre Desenhos Técnicos

    capa do DVD COLETÂNEA DE NORMAS
			Desenho Técnico

    Faça a sua encomenda através do endereço vendas@ipq.pt


     

    Coletânea de normas sobre Segurança contra Incêndio

    capa do DVD COLECTÂNEA DE              NORMAS Segurança contra incêndio em edifícios: protecção passiva

    Faça a sua encomenda através do endereço vendas@ipq.pt


     

    Coletânea de normas sobre Proteção Anticorrosiva de Estruturas de Aço por Esquemas de Pintura

    Normas sobre pintura anti-corrosiva

    Faça a sua encomenda através do endereço vendas@ipq.pt

     


    Coletânea – Sistemas de Tubagens de Plástico (PVC-U)

    Promoção de normas             sobre sistemas de tubagem de plástico

    Faça a sua encomenda através do endereço vendas@ipq.pt

     

     
       
       
     
       
       
       
       

    Clientes IPQ
     
       

    NP ISO 21500: 2012 Linhas de orientação sobre a gestão de projetos

    Imagem alusiva a promoção de normas sobre Gestão de Projetos

    Nota de encomenda ...


     

    ATUALIZAÇÃO DO CATÁLOGO DE NORMAS

    Catálogo IPQ

    A atualização do Catálogo de janeiro já começou a ser enviada.

    Lembramos que, quem não tem ainda o Catálogo instalado, deverá usar o link para instalação do Catálogo (cerca de 14 MB). Quem já tem o Catálogo precisa apenas de fazer a atualização da base de dados (cerca de 3 MB).

    Se ainda não recebe o Catálogo, inscreva-se já como Correspondente. Além do Catálogo de Normas IPQ, passará a receber informação especializada na área da qualidade e poderá beneficiar de descontos significativos na aquisição de documentos normativos.

    Preencha a ficha de inscrição e envie-a para correspondente@ipq.pt.

    ASSINATURA DO ESPAÇO Q

    O Espaço Q é uma newsletter mensal do IPQ dedicada à divulgação do Sistema Português da Qualidade (normalização, metrologia, qualificação), editada em formato eletrónico e enviada por email.

    O Espaço Q está disponível para quem quiser receber regularmente informações atualizadas na área da Qualidade.

    Contamos com o seu contributo, enviando-nos as suas críticas/sugestões para espacoq@ipq.pt

    Se ainda não é assinante e deseja passar a receber o Espaço Q mensalmente, efetue a sua inscrição para espacoq@mail.ipq.pt.

    Se desejar, poderá anular a inscrição para espacoq@ipq.pt.

     
       
    EDIÇÕES ANTERIORES  
    Nº 83 | dezembro de 2012
    Nº 82 | novembro de 2012
    Nº 81 | outubro de 2012
    Nº 80 | setembro de 2012

    Consulte todas (emendar)...
     
       

    FICHA TÉCNICA

    Edição/Produção
    IPQ
    Rua António Gião, nº 2, 2829-513, Caparica
    Tel. (+351) 212 948 100
    Fax. (+351) 212 948 101
    Email: espacoq@.ipq.pt

    Comité Editorial
    Ana Andrade
    Diana Lopes
    Eduarda Filipe
    Jorge Marques dos Santos
    Maria João Graça
    Ricardo Fernandes

    Conceção gráfica
    Isabel Silva

    ISSN
    1646-1916

     
       
       
       

     


    Se desejar poderá anular a inscrição